Não há como fugir da Copa do Mundo e nem das vuvuzelas! Cala Boca Galvão!

 
Não há como fugir da Copa do Mundo e nem das vuvuzelas! Cala Boca Galvão!
 

De quatro em quatro anos o Brasil inteiro se reúne em torno do evento de maior importância para uma nação. Milhões de pessoas vão às ruas demonstrar sua paixão pela nação. Vestem-se de verde, amarelo e azul. Fazem barulho em todos os sentidos! A mídia dedica toda sua atenção, na TV, nas rádios, nos jornais e na internet. Nas ruas, ninguém fala em outra coisa. O Twitter quase não agüenta tanta movimentação e assuntos relacionados ao Brasil alcançam o topo dos Trending Topics mundiais!

Essas são as eleições presidenciais! Certo? Infelizmente não… estou falando de Copa do Mundo de Futebol.

“Todos juntos vamos,
Pra frente Brasil!
Brasil!
Salve a Seleção”

Em época de Copa, qualquer lugar que você olhe, qualquer jornal que você leia ou assista, qualquer rádio que você escute, qualquer site que você entre [...] o assunto será sempre a Copa. Das vuvuzelas a Jabulani, de Dunga à Maradona nu, é difícil encontrar outro tema sendo discutido com tanto entusiasmo.

Só para se ter uma idéia, minutos após o primeiro jogo do Brasil, segundo o CNN Twitter Buzz, foram feitos, em média, 6.360 tweets por minuto contendo a hashtag #bra, que corresponde ao Brasil (informação da Daniela Bertocchi).

Essa é a primeira Copa do Twitter em sua fase adulta. Porque, por mais que ele já existisse em 2006, o número de usuários, que hoje já ultrapassou a marca de 100 milhões, na época era praticamente insignificante. O serviço de microblog aproveitou até mesmo para lançar recursos especiais aproveitando a febre do evento.

O meme “Cala Boca Galvão” atingiu índices inesperados chegando ao topo dos Tranding Topics mundiais, ganhando uma página na Wikipédia e sendo noticiado até mesmo no The New York Times.

Outro assunto que lidera o ranking do Twitter é a tal da vuvuzela, aquilo que antes da Copa nós chamávamos de corneta. O jornal britânico Guardian chegou até mesmo a publicar um vídeo de como tocar uma vuvuzela como um profissional. Eu já comprei a minha… e você?

Não tem jeito! O País inteiro para! Olho pela janela do escritório e vejo somente alguns poucos, atrasados, correndo atrás de um televisor para ver como está o jogo. O trânsito das grandes cidades fica caótico minutos antes das partidas. As vendas do aparelho de televisão cresceram mais 30% por causa da Copa. As grandes emissoras de TV gozam recordes de audiência.

Eu acho muito legal toda essa alegria. Fico feliz que o povo tenha algum motivo para sair nas ruas e se orgulhar de seu país, porém, acredito que: se conseguimos nos mobilizar dessa forma por causa do futebol, porque não o fazermos também em prol de algo que nos traga uma alegria que não seja passageira?

O movimento #ForaSarney foi uma boa iniciativa, até chegou as ruas de diversas cidades, porém, ainda foi muito pouco.

Esse ano tem eleições presidenciais! Seria tão bom se todos fossem patriotas também na hora de ir às urnas. Não se deixem ofuscar pela copa. Jornalistas: lembrem-se que tem muita coisa acontecendo no país além de uma simples partida de futebol. Leitores: cobrem por notícias, a internet está ai para ajudar (basta saber procurar)!

Quem já tem um pouco mais de vivência ou, pelo menos, se interessa um pouco pela história de nosso país, nunca vai se esquecer de nossa histórica conquista do Tri Campeonato Mundial, em 1970. A conquista fazia parte do Milagre Econômico! O triunfo da seleção foi vendido como algo possibilitado pela ditadura e pelo AI-5.

Diferentemente da Coréia do Norte, primeira adversária do Brasil, não temos hoje uma ditadura em nosso país. Porém, sabemos que a política e o Senado Brasileiro não estão nem um pouco bem. O CQC tem feito matérias ótimas por lá que demonstram o nível de nossos parlamentares. Assinam até um projeto de lei que propõem a inserção de um litro de cachaça na cesta básica do brasileiro.

Rimar seleção com emoção e coração é fácil! Difícil mesmo seria rimar com eleição? Não entendo por que…

Porque será que parece tão nonsense e démodé colocarmos uma bandeira na frente de casa quando não tem Copa do Mundo?

Recomendo a leitura da coluna de Airton Farias: “Copa do Mundo: Política e História”, da reportagem: “Pra frente Brasil! Copa do mundo e ditadura no Brasil”, da Patrícia Mariuzzo, e do post: “Outros motivos para nacionalismo além da Copa”, da minha amiga Maricy Ferrazzo.

O ano é de Copa do Mundo, mas também de eleição presidencial! Não se esqueçam disso!

Leia também:

 

2 Comentários para “Não há como fugir da Copa do Mundo e nem das vuvuzelas! Cala Boca Galvão!”

  1. Isadora diz:

    para mim a tal vuvuzela será eternamente corneta. e mudar o nome não muda o fato do bicho ser muito irritante! haha

    ótima crítica, Bruno!
    quem sabe um dia rimem coração com eleição, mesmo…

  2. João Damasio diz:

    Pois é, bom saber que não estou só, rs.
    Ótimos texto, ótima crítica. Isto é a visão de jornalista de verdade.
    Dentre outros me inspiro em vc, Bruno, pra seguir a profissão.

Deixe um comentário

* Obrigatório
** Não será publicado

 
 

©2008-2010 | Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons | Alguns direitos reservados a Bruno Cardoso.
Mapa do Site | RSS | Política de Provacidade | Termos de Uso | E-mail: ojornalista@inexato.com
Powered by Wordpress | Tema desenvolvido por: inEXATO

Creative Commons License
 

Este texto foi impresso do blog oJornalista.com (http://www.ojornalista.com/).

Autor: Bruno Cardoso (bruno@inexato.com).